­­Por que eu estou preso? Por que estou nessa vida? Por que eu gosto de roubar? Por que o mundo é louco? Por que adrenalina é bom? Por que eu tenho muito ódio?Por que todos temos um dom e alguns conseguem descobrir e outros não? Por que muitas pessoas nascem ricas e muitas nascem pobres? Por que nós envelhecemos? Por que existe agressão? Por que a minha mãe faleceu e eu não conheci meu pai e minha vida ficou complicada?

Os muros são altos com arames farpados em cima, que dão voltas e mais voltas; as portas de ferro e grades espessas separam o mundo de fora do mundo de dentro e nas paredes inscreve-se um tempo sem tempo. Foi nesse ambiente que encontrei os meninos e meninas que nos fazem essas perguntas. Eles estão privados de liberdade, são "jovens em conflito com a lei" que cumprem medida socioeducativa no DEGASE (Departamento Geral de Ações Socioeducativas) do Rio de Janeiro; a maioria por tráfico de drogas ou roubo, uma pequena parte apenas por delitos mais graves.

Nos aproximamos desses jovens querendo escutá-los, e fazer com que essa escuta pudesse reverberar em outros ouvidos. Uma escuta das histórias que eles tem pra contar, sobre a infância, a família, os amores, os sonhos, as cenas que os marcaram e que nunca esqueceram.

autorretratos